sábado, 4 de dezembro de 2010
















Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo,
que solidão errante até tua companhia!
Seguem os trens sozinhos rodando com a chuva.
Em taltal não amanhece ainda a primavera.
Mas tu e eu, amor meu, estamos juntos,
juntos desde a roupa às raízes,
juntos de outono, de água, de quadris,
até ser só tu, só eu juntos.
Pensar que custou tantas pedras que leva o rio,
a desembocadura da água de Boroa,
pensar que separados por trens e nações
tu e eu tínhamos que simplesmente amar-nos
com todos confundidos, com homens e mulheres,
com a terra que implanta e educa cravos.

PABLO NERUDA

3 comentários:

Alessandra, disse...

OIIIII eu tb to sumida rsrs minha vida tá muito corrida...boa sorte na fuvest...bjs

www.mdemulhermoca.blogspot.com

Tania T. disse...

Que lindooo...

Amo isso!!!

Adorei'

BjoO

Matti disse...

Dany, me desculpe usar o seu blog para te mandar essa mensagem, mas não encontrei outra forma. Gostaria de manter um contato com você. Há como trocarmos e-mail ou algo assim?