terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Vulto













Eu vi um fantasma,
Ele não era real
Mas eu tremi
Quando o vi.

Eu vi um fantasma,
Não posso lembrar
De sua origem
Cheia de fuligem.

Estava escuro,
Estrelas apagadas,
Promessas quebradas,
Veias já calejadas.

Eu o vi preso no passado,
Do outro lado do espelho
Assombrando meus olhos,
Preso nos poemas mortos.

.

2 comentários:

Matti disse...

Fantasmas... os meus são do tipo que não podem ser banidos. É até engraçado eu ler isso justamente em um dia que eu mesmo escrevi a respeito dos meus fantasmas.

Skyline Spirit disse...

pretty nice blog, following :)