quarta-feira, 28 de abril de 2010

Desesperança



Pra quem um dia acreditou
Que haveria sorrisos ao ver
letras poetisando sentimentos
Saiba que nada é mais vago que um sonho

Pra quem um dia foi tomado pela mão
e conduzido pelo fogo do amor
Eu só queria dizer uma coisa
Que o fogo que aquece também queima

O toque da pétala é tão suave
E o corte do espinho tão doído
Esperança da rosa também morre
Ao murchar-se diante do sol radiante

Pra quem se achou totalmente tolo
Por sentir algo mais sublime que o perdão
Nada é em vão, nada é pecado, nada é imperfeito
Quando se faz com todo o coração sem medo

Toda desesperança nasce do caco de coração
que se quebra na mágoa perpetuada pelo choro
que se despede nas asas de toda impossibilidade
Do irremediável destino humano...

2 comentários:

Tania Girl disse...

Essa poesia me deixou sem palavras.. tão linda e profunda.. perfeita!! :))
"Nada é em vão, nada é pecado, nada é imperfeitoQuando se faz com todo o coração sem medo"
disse TUDO!!
aMEI..
bjos

Tania Girl disse...

Oii
Então, estou passando pra responder a pergunta que você fez no meu blog sobre a Gláucia. E pra falar a verdade eu não me inspirei em ninguém para criá-la... Foi coisa da minha cabeça mesmo...rs
bjos
ps:obrigada por acompanhar a história..!!