domingo, 16 de maio de 2010

Liberdade



Era uma vez uma vírgula,
Era uma vez uma história
Que transformou-se em verso
Para um dia virar poesia...


Não espere por mim na porta
Porque desta vez eu vou a pé
Sentindo o vento em minha face
E o sol batendo em meu coração

Liberdade é meu primeiro nome
Não posso fazer nada pra evitar,
Eu sempre vou buscar quebrar
Todas correntes que me prenderem.

Abrindo mão de todos sentimentos
Mesmo que isso me faça doente,
Vou caminhar e começar a correr
Correr o mais rápido que puder...

Me dê sua mão, fique ao meu lado
Não preciso de mais nada além disso
ver seu rosto enquanto eu sigo...
Assistir seu sorriso me manterá aquecida!

Vamos correr para longe de tudo aqui
Para utopia, para nosso lugar perfeito
Um sonho que só podemos construir juntos
E finalmente sentirei meu espírito descansar feliz.

2 comentários:

Tania Girl disse...

E não tem nada melhor que sentir o vento na face.. o gosto da liberdade!!

Lindo post, querida!!
Amei.
bjos

Chronnus disse...

Muito bom.... Pra variar (só pra variar) AMEI!!!!!!!!!


Bjs